Arquivo da tag: vocabulário

28 meses

A fase do porque chegou aqui. Não a famosa fase de perguntar o porquê das coisas. Luiza agora fala “eu vou pra casa porque eu não vou pra piscina”. “eu quero descer porque eu não quero mais comer”. “ficou escuro porque a piscina tá azul” – a última frase é sobre o letreiro da piscina que fica azul a noite e branco de dia. Aqui do meu lado ela acabou de dizer “O papai vai me levar no Legoland porque eu quero ir no Legoland”. O “porque” não é necessariamente um “porque”.

Ela tem uma memória fotográfica impressionante: reconhece logomarcas de todas as lojas e mercados que frequentamos a partir do primeiro contato, identifica as diferentes linhas do metrô pela cor e o número e conhece quase todas as letras e números. Ela se lembra e menciona detalhes e símbolos de forma que as vezes levamos semanas pra associar.

Há uns 3 dias ela estava brincando com um brinquedo de madeira quando pegou dois triângulos verdes e colocou base com base falando “olha, igual do Brandemburgo!”. Eu fiquei tentando entender. Ontem andando de metrô eu percebi que ela estava falando do botão de abrir a porta do metrô, que tem esse símbolo de duas setas em direções contrárias.

estampa nas janelas do metrô de Berlin

Eu sempre pergunto o que tá desenhado na janela e ela responde “É Bandebugo”

Ela passa pelo U Bahn e fala “O Berlin azul/laranja/amarelo/seja qual for a cor da linha”. Mas se ela passa pelo S Bahn, ela diz “Esse é o trem”.

Nos últimos dias a gente tem percebido que ela está se sentindo piadista. Sempre diz algo e forja uma risadinha com a mãozinha na boca. Uma das piadas foi chegar com as mãos pra trás perguntando “onde tá minha mão?”, e depois mostrar “tá aqui! hihihihihi” <3 E o pique-esconde? "Eu tô escondida!!", e eu respondo algo como será que a Luiza tá na cozinha? e ela grita “Naaaaaao, eu tô na cortina!!”.

E ela se envolve nos assuntos alheios: estávamos falando sobre um currículo que Fabricio precisava imprimir e ela veio imediatamente dizendo “mamãe, eu quero um currico!”

Sao milhares de palavras por minuto, muitas risadas todos os dias e muito cuidado com o que mais essa criaturinha vai absorver sem a nossa supervisão, rs.

Vocabulário dos 23 meses

Eu venho fazendo notas mentais das maravilhas que Luiza diz, porém já faz um tempo que ela tem muita propriedade pra dizer o que quer, e a dicção está cada dia mais “adulta” (o que é engraçado pelo tamanico dela e meio triste pois ela raramente solta um termo bebezento). Sendo assim, por escrito perde toda a graça; não tem como demonstrar a entonação, a pequenez da voz nem os trejeitinhos.

Enfim nos últimos dias, talvez pelo excesso de informação que ela vem recebendo, o cérebro da pequena começou a dar uns nós. Daí eu penso: agora sim temos conteúdo pra um post, haha.

Luiza tem confundido a palavra consegui com consertei. Com isso ela tenta subir em algo e fala “eu não conserto”. Termina um quebra cabeça e fala “eu consertei” – o que faz todo o sentido do mundo. E quando o pai põe pilha em algo ela fala que ele consegou.

“Tá” e “Já” também estão dando trabalho. “Eu tá acordei, mamãe”. “O Bebel já dormindo, Golias já dormindo, Papai já dormindo…”.

Ela confunde a tia Joice com o George irmão da Peppa. Então vê a foto da tia e fala “tia George”. Essa semana encontramos a tia Ju e o tio Guigo, ela chegou em casa perguntando pela tia Gugu.

Eu a vi carregando uma sacola de mercado com estampa de gato. “Filha, onde você vai com a bolsa do gatinho?”. E ela responde “É sacola” (hahah). Outro dia ela queria perguntar sobre, mas esqueceu a palavra, daí disse “cadê aaaa… aaaa… aaaa… aaa… a caixa do gatinho?”. Sim, porque na sacola se guardam as coisas, assim como na caixa. Justíssima troca.

Até um dia desses ela dizia Dipuca quando queria falar desculpa. Agora é deculpa. Reconhece a letra U pra todo lado que vai, por conta do metrô daqui. Adora números, eu digo: “olha filha! Dois gatinhos!” e ela olha pros mesmos dois e diz “olha, quatro gatinhos!”. Papai fez dez anos, tia dinda tem quatro.

Essa noite ela estava um pouco febril e às 3h00 da manhã sentou na cama e disse “quelo ver Pocoyo na telesão” e ela mesmo respondeu “Telesão tá istagado. Não. Telesão tá dumindo, tá cansado… Papai tá cansado, Luiza tá cansado, a Galinha Pitadiha tá cansado… telesão tá cansado…”

A falação não pára durante o sono. Entre uma virada e outra ela balbucia coisas como “eu quelo dançar na sala”, “melancia”, “a bolinha lalanja caiu”, “cuidado Qua-qua!” e um quase que diário “papaiiiii? papaiiii?” seguido de nada.

Nós 3

Nós 3

Em menos de um mês completaremos 2 anos dessa viagem louca que é ser mãe/pai/filha. Ela nos encoraja e alegra todos os dias, nos dá novas perspectivas pra todos os olhares e ajuda a trazer paz pros nossos corações. Todos os dias. A gratidão só aumenta, o amor também.