encontros

Há dois meses eu me emocionei com o texto que replico abaixo. Denise, uma amiga de internet de longa data estava prestes a ter seu segundo bebê.

Ontem eu a vi pessoalmente pela primeira vez. Tive a honra de conhecer os dois pequenos e o enteado, e o prazer de ser recebida por eles na nossa primeira visita à Berlim.

Foi um breve passeio, se é que podemos chamar um traslado assim, rs. Mas foi bom, acolhedor e simples, como a humanidade pede.

São momentos leves, doces e pequenos atos de generosidade como este que me fazem apreciar as amizades que cultivo na vida. Digo sempre: Amigo é melhor que dinheiro, minha gente.

E ver os amigos felizes é ainda melhor.

Gratidão, Denise Emmermacher.

“Meu filho,

Está chegando a hora de você botar a cara no mundo. Ainda muito longe da sua independência de mim e do seu pai, mas é a nossa primeira separação. Entre eu e você.

Preciso te alertar que as coisas aqui não são fáceis. Peço desculpas, a princípio, por nem sempre estar bem e você ainda sente tudo que sinto. Estou postando esta música pra você. Pra que você saiba que estou sempre rezando por você. Que quando você vier será um ser tão puro que não vai precisar ainda rezar. Mas com o tempo talvez deixe algumas coisas entrarem dentro de você e aqui vai meu primeiro conselho: a oração faz a gente voltar ao estado inicial. Restitui tudo o que éramos antes. Tenho minhas dúvidas se algum dia a gente deixa de sentir nossas mães, então se algum dia você sentir que eu preciso ore por mim também. Ou pelo menos emane boas energias, será um bom começo.

Hoje sonhei com uma família de gorilas. Estavam subindo num penhasco e de repente a gorila mãe pariu lá do alto. O bebê caiu do penhasco, mas continuou vivo. Ele era diferente do resto, tinha traços humanos. Será que era você, meu filho? Estamos precisando disso: bebês com traços humanos.

Depois escreverei mais cartas. A próxima será pra sua irmã.

Um beijo,
Mamãe”