Perdido e achado

Pois bem. Eu esqueci meu blog. Talvez porque a escrita normalmente é meu catalisador de emoções, e a gestação me ensinou magicamente (hormonalmente?) a passar suave pelo tempo e pelas coisas.
Lá se vão 38 semanas nas quais me desentendi pouco, troquei a brabeza pelo sono e ignorei muitas coisas chatas – a maior de todas as provas, de que nossa perspectiva é que faz o tom da vida que levamos.
Tive os mesmos problemas de sempre, mas percebi que quando se tem o futuro no ventre não se perde a fé. E assim continuamos esperando o tempo certo =)