Botão Ranzinzice: ON

– Passei 2 semanas MUITO ranzinza. Percebi que não estava ouvindo música em nenhum momento da vida. Consertei a rotina, melhorei.

– Se o clamado setor ~Noroeste está de pé, o sistema de escoamento de chuvas do próprio não deveria estar?

– Todos. Os. Dias. Todos. Vejo uma barbeiragem insana no SIA. Dessas cabeludas – ou de se descabelar. “Sério que esse caminhão tá na contramão??”;

– Reza a lenda que o programa “Asfalto Novo” do GDF, que vem recapeando pistas e criando retenções inimagináveis desde o ano passado, estão escondendo/tapando os bueiros da cidade, e por isso a água não escoa mais onde antes escoava. Será?

– Meu iPhone tem menos de 6 meses e já tá reiniciando do nada;

– Minha salada favorita veio com cabelo;

– Meu doce na doceria favorita também;

– Tem dias que as coisas do dia-a-dia pesam e irritam mais do que qualquer outra coisa: depilação, encher a garrafa dágua ou fazer as compras do mês;

– Se papai do céu me permitir e o trabalho estiver em dia, eu PROMETO dormir pelo menos 50% de cada um dos jogos da copa esse ano;

– Cansei de sair e sinto sono quando bebo em casa. Junte isso às minhas pálpebras e meu crec sinistrão do quadril: Envelheci aos 30.

– Entendi que não sou mulher de ter melhor amiga. E coincidentemente minhas melhores amigas não tem muito essa coisinha de menininhice não. As vezes piro com isso, mas normalmente não.

Just sayin’. Nada contra.

snif.

Espiritual > Físico

De repente, depois de gritar por socorro, fazer exercícios, encher a cara de clonazepan, resolvi ir até o lugar onde minhas orações se transformam em transe.
Encontrei uma amiga, um guia, concentração, um break do celular e finalmente consegui relaxar.

E hoje simplesmente voltei a ser eu. Piadista, rápida, animada e esperançosa. Assim não há como não vencer 😉

Crise (Still)

Nos dias aéreos eu me sinto mais jovem. Não pela disposição, mas pelo sentimento de deslocamento e falta de foco. Sempre levemente mais brando do que naquele tempo, mas a mesma sensação.

Que não descanso porque não durmo bem, mas não durmo bem porque não encerrei algum processo, e não encerro o processo porque estou sem energia pra cobrar, pois não descanso bem…

Foco nos bons fluidos, nas piadinhas infames, na bênção que é estar onde estou e ter saúde. Orar pelos amigos, pelo marido e pela família. Tentar reencontrar aquela força interior, que chega pequenininha e toma conta da gente.

Pelo menos a gente sabe como ninguém que vai passar, rs. Raaaaaaala mandada!

Para o alto e avante!

Auto conhecimento é o que há de mais divino. Te ajuda a tomar os melhores caminhos, perceber o que importa, valorizar o que faz bem. E não tem fim! Quanto mais nos conhecemos, mais evoluímos e temos outras coisas a descobrir. Pra mim é o que me faz sentir a força maior, que Deus deu a cada um de nós. É tratar bem o presente que Ele te deu – seu corpo e sua energia vital.

Analisar e melhorar a si mesmo te deixa mais próximo do céu! ❤️

Crise #648

Passei uma semana super inconstante. Nada de TPM, nada de enxaqueca. Apenas uma dificuldade de fazer o que não fosse estritamente essencial. Entre carnaval e o resto da semana, praticamente me limitei a arrumar a casa, visitar a mamãe no hospital e trabalhar muito. E cada hora me pareceu pesada. E o cansaço aparecia antes e maior do que o padrão.

Depois de 3 dias focada na reposição da minha energia – com exercícios, estudos e muito descanso – aqui estou num raro estado insone. Preocupações das mais diversas condensadas numa noite de domingo/segunda: os elefantes do circo, gatos e cachorros abandonados, machismo, as contas a pagar, minha alimentação, o desconforto da minha cachorrinha que está no cio, estratégias pro trabalho, e tudo isso coroado pelo som de um vazamento de água saindo do meu banheiro – que me remete ao texto que li recentemente sobre a criação do hábito das garrafinhas de água e a quantidade de lixo que estamos produzindo… Imaginou?

Yeah. Não tem fim.

Esses pensamentos cíclicos já foram basicamente a forma que meu cérebro trabalhava. Conheço bem esse funcionamento, e nessa hora uma série de comportamentos malucos tomam conta de mim. Levantei, arrumei o sofá, coloquei os telefones e controles paralelos uns aos outros, guardei o que estava sobrando e empilhei as almofadas, endireitei as cadeiras e resolvi escrever pra redirecionar o bolo.

Que me lembra outra história….

Com 19 anos eu tive uma crise depressiva e, sem saber do que se tratava, fui a um médico que em menos de 5 minutos me “diagnosticou” e me passou uma série de textos pra ler e remédios da moda. Por muito tempo sofri com essa questão, sem entender o que sentia nem o que estava acontecendo. Entrei e saí de tratamentos diversos e boa parte das minhas lembranças dessa fase são turvas.

Foi quando, meio que por acaso, comecei a investir em auto conhecimento, por meio de textos e terapias das mais diversas. Quase 10 anos depois do inicio dessa jornada, vejo que o doutor maluquinho que me mandou aprender sobre TOC não estava de todo errado. Minhas ansiedades se escondem num comportamento obsessivo, que hoje consigo facilmente identificar e usar a meu favor.

Voltando ao presente: são 2:00 da manhã e eu estou presa num mundo infinito de intenções. Solução imediata: listas (thanks, Evernote!) pra mensurar o que é meu, mentalizar estratégias e dar vazão. Segundo passo: intensificar as atividades aeróbicas essa semana pra suar a maluquice e, no devido tempo, eliminar os itens da lista.

No fim vou perceber que os motivos que transitam pela mente nesse momento, pouco ou nada tem a ver com a fonte da ansiedade – o que me faz pensar 50 vezes antes de empurrar a frustração na família e nos amigos. E mais uma vez terei uma boa dose de aprendizado sobre meu corpo, meus limites e mais ferramentas pra otimizar a forma doida que eu funciono.

O que sei desde já é que: também vai passar 🙂

Dica: http://youtu.be/V0gquwUQ-b0

Vale cada segundo.

20140310-022902.jpg

Pelo Amanhã.

Num dia em que tudo pareceu mais duro – com mamãe hospitalizada, projetos importantes saindo escopo, sorriso difícil, horas pesadas – não achei digno chorar… embora tenha passado boa parte do tempo segurando as lágrimas.

A maior vitória é chegar no fim desse dia e conseguir perceber motivos pra agradecer, respirar fundo buscando a vitalidade que hoje não apareceu e sabendo que as complicações de agora são o maior estímulo pra buscar a melhor solução amanhã.

Não dispersar a energia, manter foco, força e fé. Veja bem: não desperdiçar energia, que a demanda tá alta.

Hoje depois de horas tentado entender onde estava minha capa de super heroína, minhas piadas e minha tão batalhada leveza, parei pra pensar. Recebi carinho gratuito de gente linda.

Deus me deu amigos que são capazes de me dar verdadeiras injeções de ânimo com poucas palavras. Gente que me inspira e me faz parecer importante ❤️

Um grande viva ao amanhã! Levemente contido, porque vamos precisar dessa energia jajá.